RÉPLICAS DE FÓSSEIS: EXCELENTES FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE PALEONTOLOGIA

Os fósseis são importantes para a compreensão da evolução dos seres vivos. Seja no estabelecimento de biozoneamentos, em estudos ligados à prospecção de petróleo ou ainda em reconstituições paleoambientais, os fósseis são importantes testemunhos que auxiliam nesses processos.

Os fósseis brasileiros contam a história da biodiversidade em épocas passadas desde a Era Palezóica, e se constituem numa das principais evidências para a compreensão sobre as transformações pelas quais a geografia e a biota de nosso país em tempos passados, foram submetidas.

São muitos os sítios fossilíferos já documentados no Brasil, sendo que a Chapada do Araripe, compreendida nos estados do Ceará, Paraíba e Piauí, é o mais conhecido. Seus fósseis fornecem informações preciosas sobre como era a vida nesta região, no Período Cretáceo. No entanto, muitos desses fósseis são contrabandeados para outros países, destinados a instituições de pesquisa ou a colecionadores particulares.

Os fósseis são raros, pois são formados sob condições incomuns em situações muito específicas com relação à presença ou não de organismos decompositores, oxigênio e o tipo de sedimento que envolverá o organismo após sua morte. Por sua raridade e importância, os fósseis, sejam eles de animais, vegetais ou seus vestígios, devem ser preservados em instituições que desenvolvam pesquisas e que promovam a sua salvaguarda. Estas instituições são geralmente universidades e museus.

Dessa forma, as instituições de ensinos Fundamental e Médio não tem acesso a esse tipo de material, que também é considerado como apoio pedagógico a ser utilizado de forma multidisciplinar pela Biologia e Geografia, por exemplo. Além disso, a compra de fósseis é proibida por lei, o que impede que as escolas organizem coleções com materiais originais.

Geralmente são materiais frágeis, difíceis de serem coletados e, uma vez estando registrados nas respectivas coleções onde são depositados ficam submetidos a manuseios, muitas vezes inadequados. Dessa forma, torna-se necessário o resguardo desses exemplares de maior valor científico. Além disso, fica evidente a carência de material didático de interesse paleontológico necessário a divulgação da paleontologia nos ensinos Fundamental e Médio.

Diante dessas dificuldades, uma alternativa encontrada é a reprodução dos exemplares de fósseis, sejam para fins científicos como didáticos que cumprem uma importante função na divulgação da Paleontologia. Neste sentido, as réplicas de fósseis provenientes de sítios fossilíferos brasileiros e de outros países, podem representar parte da biodiverdade preservada nas rochas em tempos muito remotos. As réplicas são cópias fiéis de fósseis originais, sendo copiados com o cuidado de preservar as características de cada um deles. Além disso, devem conter as informações como nome, idade e procedência. Dessa forma tornam-se muitas vezes elementos importantes para o desenvolvimento do conhecimento científico de diversas instituições. Além disso, tornam-se também úteis para o aprendizado construtivista de diversos conceitos abordados na Evolução, Paleontologia, Paleoecologia, entre outros.

No Brasil, o comércio de fósseis é proibido por lei, o que torna a aquisição de réplicas, a alternativa mais viável para o desenvolvimento do ensino sobre paleontologia nas escolas. Os fósseis são considerados patrimônio da União e o Projeto de Lei Nº 245, de 1996 dispõe sobre a proteção desse patrimônio, em conformidade com o art. 216, inciso V da Constituição Federal.

A Terra Brasilis Didáticos vem há 18 anos promovendo a divulgação dos fósseis em todos os níveis de ensino, formando uma coleção de réplicas dos fósseis mais representativos das Eras Paleozóica, Mesozóica e Cenozóica.