Crânio de urso das cavernas: Ursus spelaeous

R$ 2.172,00

Em estoque (pode ser encomendado)

QR Code

QR Code

Ficha Técnica

Réplica de fóssil escala 1:1

Nome: Ursus spaleous
Ordem Carnivora; Família Ursidae
Localização: Montes Urais, Rússia
Época/Idade: Pleistoceno
Tamanho: 51 cm
Material: resina

Réplica de fóssil cuja produção é baseada nas cores e dimensões de um fóssil original. Peça de confecção artesanal, sujeita a possíveis variações de cor.
Crédito da imagem: Juarez Silva
Orientações para o manuseio e conservação de réplicas

Um pouco de sua Biologia.

CONTEMPORÂNEO DOS NEANDERTAIS

Esta é a única réplica sendo vendida na América do Sul, o que é vantajoso, pois evita transtornos de importação. Altamente detalhada, ela surpreende pelo tamanho, atingindo o dobro do tamanho dos ursos atuais.

O urso das cavernas, como é conhecida essa espécie, foi extinto cerca de 27.000 anos atrás. Estes animais de grande porte foram contemporâneos dos neandertais (Homo neanderthalensis) e dos primeiros humanos modernos (Homo sapiens) no Período Pleistoceno. Provavelmente, acontecia entre essas espécies batalhas frequentes para disputa e posse de cavernas, utilizadas como moradia, num período em que se abrigar contra as baixas temperaturas era um fator determinante para a sobrevivência.

Os ursos das cavernas, provavelmente se pareciam muito com os modernos ursos pardos (Ursus arctos). Sua estrutura esquelética também era bastante semelhante à de um urso pardo. No entanto, eles diferem deste com relação a alguns aspectos, em particular a ausência de pré-molares, e o tamanho cerca de 30% maior com uma estatura que chegava perto dos 4 metros quando estavam em pé.

Este animal era omnívoro e alimentava-se de pequenos mamíferos, ervas e frutos. Dado ao clima bastante frio do Período Pleistoceno, supõe-se que este animal hibernasse durante mais tempo que os ursos modernos. Esta hipótese justifica a presença frequente do animal em cavernas, pois esta espécie foi encontrada aos milhares nas cavernas da região sul da Europa. Na verdade, os esqueletos de urso são tão comuns que foram extraídos industrialmente como fonte de fosfato. A caverna Chauvet-Pont d’Arc, na França, é o local das mais antigas pinturas rupestres conhecidas e lá foram encontrados milhares de fósseis desse urso.

As causas da extinção do urso-das-cavernas não são conhecidas com exatidão. Supõe-se que tenha desaparecido devido a uma redução do seu habitat no fim da Idade do Gelo e ou a mudanças contemporâneas da flora europeia. Não é de excluir a interferência do Homem, uma vez que as comunidades primitivas partilhavam o mesmo espaço que este urso. Há evidências que algumas tribos idolatravam o urso-das-cavernas por meio de pinturas e esculturas.

Imagem de fóssil original como referência.

Esta imagem representa um espécime de Ursus spelaeous original. Perceba as cores e a textura, e compare com a réplica que produzimos. Produzir réplicas mais fidedignas possíveis: esse é o nosso maior compromisso com a qualidade de nossas reproduções!

Você também pode gostar de…